Reflexões sobre o papel da mobilidade populacional no planejamento para a ocupação da Amazônia

Alisson Flávio Barbieri

Resumo


O artigo propõe uma interpretação da relevância de perspectivas teóricas tradicionais em mobilidade populacional (funcionalista, estruturalista e transicional) na explicação de estratégias de planejamento regional para a ocupação da Amazônia, a partir da estratégia de “urbanismo rural” nos Anos 60 e 70. É discutida a incapacidade das três perspectivas em explicar o processo de ocupação da Amazônia, e sugerido que tal explicação requer a adoção de visões pluralistas sobre mobilidade populacional.

Palavras-chave: Mobilidade populacional; planejamento regional; Amazônia.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22228/rt-f.v8i2.458

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


A Revista T&F está indexada nos seguintes serviços: Portal de Periódico da CAPES, EBSCO, BASE, Sumário de Revistas Brasileiras; Latindex, LivRe!, Google Acadêmico, Dialnet, DOAJ.

Periódico avaliado como B1 no WebQualis 2015 da CAPES na área de História; B2 nas áreas de Letras/Linguística, Ciências Sociais Aplicadas e Ciências Ambientais.

ISSN 1984-9036

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.